sexta-feira, 28 de setembro de 2012

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

II Jornada de Saúde e Segurança Ocupacional da Baixada Santista

Evento promovido pela Associação Paulista de Medicina, Associação de Medicina do Trabalho da Baixada Santista junto com o IACS Santos.



quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Piada sobre o Novo Ponto Eletrônico

mais uma da série: Piada sobre RH

Autor da charge: Galvão

CONSIDERAÇÕES DA BLOGUEIRA:
Controlar o controle de jornada de trabalho dos seus colaboradores sempre foi uma prerrogativa legal das empresas, algo extremamente útil e necessário para que os colaboradores cumprissem rigorosamente sua jornada de trabalho, nem mais nem menos do que a lei determina.

Entretanto, havia muita desonestidade por parte de ambos os envolvidos: empresas e empregados.
As empresas que burlavam as horas extras e os empregados que burlavam sua jornada para esconder atrasos ou saídas antecipadas.
Com a portaria 1510, as empresas passaram a ter uma obrigatoriedade de controlar a jornada de maneira mais efetiva e o mais próximo ao real, já que os dados marcados pelo relógio de ponto não podem ser manipulados.

Muitas teorias falam dos lobby´s das empresas fabricantes de relógio de ponto, pode até ser, mas como profissionais de RH essa portaria veio para proporcionar maior transparência e justiça quanto às marcações de ponto.

Pode não resolver todos os problemas que envolvem o tema, mas que tem ajudado muito a ambos os lados isso tem.

Por hoje é só e até a próxima!

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Erros de português comuns e prejudiciais a quem busca recolocação

por Simoni Aquino
Fonte da imagem: Internet

Este post nasceu de minhas observações em redes sociais e profissionais e também em correção de redações em processos seletivos. São erros gramaticais tão comuns que tornaram-se populares, mas que devem ser corrigidos, pois prejudicam as pessoas em seu cotidiano, especialmente profissional.

Para quem está na árdua batalha de buscar recolocação profissional, nem se fala! Muitos excelentes profissionais são eliminados em processos de seleção, simplesmente por que cometem erros grotescos em redações. 

Embora o Brasil seja a 6º Economia Mundial, sabemos que nossa educação não é lá essas coisas, tanto que ocupamos o vergonhoso 88º lugar no ranking (127 países participantes) de Educação da UNESCO, ficando atrás de países com PIB muito abaixo do nosso e de países envolvidos em graves crises de segurança internacional. Mas esse fato não é justificativa para continuarmos escrevendo mal, pelo contrário, a esmagadora maioria dos brasileiros tem acesso à informações através da internet, leitura de e-books e também a bibliotecas municipais que emprestam livros gratuitamente.

O mercado de trabalho está cada vez mais exigente e necessita de profissionais com português impecável: gramática e capacidade de interpretar textos com qualidade e agilidade. Aprimorar a comunicação verbal e escrita é salutar e necessária para sobrevivência e permanência no mercado de trabalho.

Este Blog ressalta a necessidade de analisar comportamentos para aprimoramento pessoal e profissional, e portanto você encontrará links interessantes sobre o Novo Acordo Ortográfico que entrará em vigor oficialmente em 2013 e também algumas Dicas sobre nossa Língua Portuguesa. Esteja à vontade para navegar pelo Blog Além do RH! 

Abaixo, algumas palavras muito comuns de serem escritas erroneamente. Se você escreve errado alguma delas, essa é a oportunidade de aprender a escrita correta e a partir de agora, esforçar-se para utilizar a forma correta:




*  IMPORTANTE:
Após receber uma mensagem de um leitor do blog, percebi a necessidade da correção em relação às palavras Despercebido e Desapercebido. Embora haja controvérsias a respeito da utilização de ambas, peço a gentileza  que desconsiderem essas palavras na imagem acima. 
Considerem o áudio do Prof. Pasquale Cipro Neto, explicando a controvérsia dessas palavras, clicando no link abaixo:
http://radioglobo.globoradio.globo.com/com-a-palavra,-o-professor-pasquale/2012/02/15/DESPERCEBIDO-OU-DESAPERCEBIDO.htm

Criação da arte e texto são de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

domingo, 23 de setembro de 2012

A Primavera Chegou!

Uma homenagem do BLOG ALÉM DO RH!

Fonte da imagem: Desconhecida

Criação da arte e texto são de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

sábado, 22 de setembro de 2012

Ociosidade e trabalho, por Sócrates

Fonte da imagem: Internet
 
Criação da arte e texto são de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Você conhece a fábula do pai, do filho e do jumento?

Autor desconhecido
Fonte da imagem: Google images

"Em pleno calor do dia, um pai andava por estradas desérticas junto com seu filho e um jumento. O pai estava sentado no animal, enquanto o filho o conduzia, puxando a montaria com uma corda.

- "Pobre criança!", exclamou um passante, "suas perninhas curtas precisam esforçar-se para não ficar para trás do jumento, como pode aquele homem ficar ali sentado tão calmamente sobre a montaria, ao ver que o menino está virando um farrapo de tanto caminhar". 


O pai refletiu sobre este comentário, desmontou do jumento logo adiante e colocou o menino sobre a sela. Porém não passou muito tempo até que outro transeunte erguesse a voz para dizer: - "Que desgraça! O pequeno fedelho lá vai sentado como um sultão, enquanto seu velho pai corre ao lado".

Esse comentário muito magoou o filho e ele pediu ao pai que montasse também no burro, às suas costas. Entretanto logo adiante: - "Já se viu coisa como essa? Tamanha crueldade para com os animais! - resmungou uma mulher usando véu. "O lombo do pobre jumento está envergado, e aquele velho que para nada serve e seu filho abancaram-se como seu o animal fosse um divã, pobre criatura!"

Os dois, alvos dessa amarga crítica entreolharam-se e, sem dizer qualquer palavra, desmontaram.  Entretanto mal tinham andado alguns passos quando outro estranho fez troça deles ao dizer: - "Graças a Deus que eu não sou tão bobo assim!  Por que vocês dois conduzem esse jumento se ele não lhes presta serviço algum, se ele nem mesmo serve de montaria para um de vocês?" 

O pai colocou um punhado de palha na boca do jumento e pôs a mão sobre o ombro do filho e disse: "Independente do que fazemos, sempre haverá alguém que discorda de nossa ação". 

CONSIDERAÇÕES DA BLOGUEIRA:
Hoje em dia, no mercado de trabalho, encontramos muitos profissionais disponíveis reclamando e reclamando das empresas, do mercado de trabalho, dos profissionais de RH, do governo, da família e até mesmo de sua "sorte". Enfim, criticam e criticam, mas poucos são os que tem iniciativa de buscar informações de qualidade, de repensar comportamentos e conceitos, de quebrar paradigmas, de buscar compreender que o mercado de trabalho mudou, que a globalização e a abertura econômica obrigaram o mercado de trabalho a se posicionar de forma mais exigente e dinâmica.

O blog nasceu da possibilidade de informar sobre Gestão de Pessoas, RH, recolocação profissional e mercado de trabalho de forma menos técnica e mais detalhada e especialmente, com a empatia e imparcialidade necessárias a um profissional da área. E mesmo o foco sendo o compartilhamento de informações e orientações, ainda há os que "discordam de tudo" simplesmente por que estão fechados a compreender que o mundo globalizado mudou a forma de gestão e de enxergar o papel das pessoas nas organizações.

Sempre haverá os que, ao invés de aproveitar informações e orientações de qualidade e profissionais, optam por fechar os olhos e continuar acreditando nos velhos paradigmas construídos na Revolução Industrial e no Pós-revolução Industrial, paradigmas estes que estão sendo quebrados dia após dia, mas que ainda resiste graças àqueles que não aceitam os reflexos da Era do Conhecimento. Mas, como diz o velho ditado: "Impossível agradar a gregos e troianos".

Mas uma coisa é certa: os profissionais que estiverem abertos a compreenderem a nova configuração do mercado de trabalho e quebrar os velhos paradigmas do mercado de trabalho, se destacarão dos demais profissionais e terão muito mais sucesso em suas carreiras. Não invento tendências e independente da existência do Blog Além do RH, o mercado de trabalho continuará exigente e implacável e quanto mais bem preparado o profissional estiver, mais ele se destacará e obterá sobrevivência ao mercado e consequentemente, sucesso profissional!" 

Então é isso!
Abraço e até a próxima!

domingo, 16 de setembro de 2012

Conhecimento, por Peter Drucker

Fonte da imagem: Internet


Criação da arte é de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino - Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

domingo, 9 de setembro de 2012

9 de setembro - Dia do Administrador

Fonte da imagem: CRASP
Como sou Tecnóloga em Gestão de Recursos Humanos, sou Administradora com foco em Gestão de Pessoas. 
O Administrador é um profissional que busca a gestão estratégica das organizações, através do alinhamento das metas com as pessoas e que é de fundamental importância para o alcance dos resultados organizacionais.

PARABÉNS A TODOS OS ADMINISTRADORES E TECNÓLOGOS PELO NOSSO DIA!


A versão moderna da fábula "A Raposa e as Uvas"

por Nelson Fukuyama

Fonte da imagem: Internet
"A parreira de oportunidades era mesmo atrativa e havia muitos cachos com vagas em diversas áreas. Para alcançar cada cacho de vaga, cada um dessas centenas de milhões de profissionais utilizava-se de um argumento como degrau de uma escada para alcançá-lo.

Alguns milhões tentavam alcançar o seu cacho de vagas usando como degrau o peso do seu diploma. Haviam cursado ótimas faculdades, estiveram sempre cercados de colegas de elevado grau de inteligência, conhecendo todos os argumentos necessários para conseguir a sua oportunidade. Esses andavam de um lado para o outro, avaliando as vagas, enquanto esbarravam em outros colegas da profissão, formados há mais tempo, que também estavam em busca de uma oportunidade.

Havia dentre aqueles milhões os jovens profissionais que passeavam debaixo daquela parreira de oportunidades enquanto observavam cada uma delas apenas com aquele olhar de quem apenas avalia um objeto de consumo. Esses estavam seguros e tinham mais tempo para avaliações porque podiam investir em sua carreira. Não tinham preocupações em ter uma vaga para ganhar dinheiro, afinal, porque a família lhes dava condições para isso. 

Outros tantos, e poucos, estavam ali, tentando alcançar o seu cacho, com ar de quem estava seguro de que tinham talento para um deles, da oportunidade que estava sendo apresentada. Avaliavam cada cacho de vaga, procurando aquele que mais lhe parecia adequado.
A grande maioria estava ali rondando a parreira, porque alguém havia lhe falado. Para esses, era apenas uma ocasião de conhecer a parreira e os cachos. Não estavam preparados para esse momento. "Caíram de paraquedas" como diriam depois. Olhavam, ouviam conselhos de outros sobre a melhor forma de atingir cada cacho de vagas.

Assim era o momento em torno da parreira. O tempo passava e todos os interessados ficaram ali por muito tempo. Afinal que conseguiu pegar uma dos cachos com vagas?
Claro que não foram aqueles que estavam como grande maioria pois eles nem esperaram muito para perceber que eles não tinham nenhuma estratégia para subir na parreira e conseguir os seus cachos. "Essas oportunidades não estavam mesmo à altura das minhas exigências e capacidades", disseram, enquanto iam embora, desistindo de vez de tentar.

"Esses cachos para mim também estão cheios de vagas de emprego que não me satisfazem" diriam também os jovens que estavam usando como degrau a sua capacidade de poder investir em sua carreira. "Hei de achar um cacho em outro lugar, porque não vejo nenhum desses como forma de me completar profissionalmente", podia se escutar alguns dizendo enquanto partiam para outra parreira.

A parte boa dessa fábula modernizada é que apenas alguns dentre milhões de interessados conseguiram subir na parreira e pegar um dos cachos de oportunidades. Dentre esses estavam alguns poucos dos que usaram o seu talento como escada, e outros poucos que usaram o peso do seu diploma de curso superior em uma instituição renomada. Também, em uma quantidade mínima, estavam os que conseguiram um cacho enquanto tentaram e acabaram tendo algum pouco se sorte.

Como podemos ver, essa fábula moderna tem um final diferente daquele contado por Esopo. Na fábula original a raposa não conseguiu subir na parreira e pegar um cacho após várias tentativas. Aqui, fica o exemplo de como funciona o mercado de trabalho para quem está buscando e concorrendo a uma vaga de emprego, tendo ou não experiência. Muitas pessoas estão vivenciando essa experiência e apenas algumas irão alcançar o seu cacho. 

Conta-se que milhões de pessoas, jovens e com menos experiência, cheios de expectativas chegaram debaixo de uma parreira de oportunidades de emprego e seus olhos brilharam nesse momento de suas vidas porque cada oportunidade de conseguir uma vaga de emprego representava sucesso, fama e com isso teriam uma vida com muitos planos e muitos recursos financeiros para ter o que quisessem." 

CONSIDERAÇÕES DA BLOGUEIRA:
Achei muito interessante essa versão moderna da fábula do grego Esopo, fazendo uma apreciação crítica em relação aos profissionais em busca de  uma posição no atual mercado de trabalho. As tecnologias estão cada vez mais modernas e dinâmicas, o processo de comunicação é ágil, o perfil dos consumidores é mais exigente e busca produtos excelentes com baixo custo. O mercado de trabalho atual obviamente mudou e muito.

As empresas buscam a melhor mão de obra, oferecem remuneração nem sempre muito atrativa e tudo isso impacta de forma contundente no mercado de trabalho. Os processos de recrutamento são mais acirrados e tecnológicos, o processo de seleção é exigente, moroso e nem sempre contempla às necessidades dos candidatos que buscam excelentes posições com excelente remuneração e em contrapartida as empresas tem suas necessidades específicas, que são incompatíveis entre os envolvidos.

A nova versão da fábula não cita os excelentes profissionais maduros (acima dos 40/50 anos) que tem dificuldades de recolocação, seja por preconceito pela sua idade, seja por sua carreira profissional ou seja pela barganha financeira do mercado de trabalho que nem sempre deseja (ou pode) remunerar justamente - olhando com visão sistêmica, devemos lembrar que o Brasil é líder absoluto em arrecadação tributária e enquanto as empresas continuarem pagando impostos pesadíssimos o mercado de trabalho não irá melhorar. Havendo reforma tributária, as empresas serão menos oneradas e terão melhores condições financeiras de investir em seus cargos, salários e remuneração para desenvolver, reter e atrair seus recursos intelectuais.

O mercado de milhões de perfis de profissionais e cada posição exige determinado perfil, portanto em cada seleção, muito óbvio que inúmeros candidatos serão preteridos, pois a concorrência é grande. Dependendo do histórico profissional e das necessidade pessoais de cada candidato, há os que são mais seletivos e buscam oportunidades com critérios mais exigentes e há os que são menos seletivos e apresentam critérios menos seletivos. Há vagas para ambos os perfis, o que importa é que o profissional tem o livre arbítrio de aceitar ou não as propostas do mercado.


O texto com as considerações da blogueira é de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

Gostou? Não gostou? 
Registre seu comentário ou compartilhe.
Mas saiba que: mensagens com ataques pessoais e citação de nomes de empresas, não serão liberadas.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Troca de ideias




Fonte da imagem:internet


Criação da arte é de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

terça-feira, 4 de setembro de 2012

10 gafes mais comprometedoras em processos de seleção


por Simoni Aquino
Fonte da imagem: Internet

Não é necessário ser um expert em Recrutamento e Seleção para compreender que algumas atitudes comprometem de forma negativa a imagem de um candidato, bastaria ter bom senso e às vezes, um mínimo de senso do ridículo para supor que alguns comportamentos são indesculpáveis.

Pode ser que algum leitor já tenha passado por situação semelhante ou idêntica e o motivo deste texto não é ridicularizá-los, o objetivo é demonstrar que o comportamento adequado no processo de seleção, independe da conduta do selecionador é uma questão de educação (e sua falta de educação), além do marketing pessoal que conta muito no processo de recrutamento e seleção.

Mas como o Blog Além do RH procura ser imparcial e analisar as situações pelos dois prismas, falarei também do comportamento dos selecionadores nas diversas situações apresentadas.

São as gafes mais cometidas em processos de seleção que devem ser banidas definitivamente de suas condutas em momentos de busca por recolocação, bem como no comportamento dos selecionadores. E que dependendo da empresa e da posição hierárquica, são capazes de detonar qualquer possibilidade de contratação por parte do candidato e que dinamitam a imagem de qualquer empresa, quando a gafe é cometida pelo entrevistador, por melhor que seja  o profissional:

1. Deixar o celular tocar no momento da seleção:
A exceção é a existência de algum familiar hospitalizado ou esposa gestante - o candidato deve expor a situação antecipadamente para justificar a necessidade de manter o celular ligado no vibracall para não ser mal interpretado, na qual o selecionador deve compreender.
Isso também vale para o selecionador, pois esse é um momento de dedicação ao candidato e nada mais deve ser mais importante do que o entrevistado.

2. Comparecer de bermuda, boné, chinelo e rasteirinha:
São itens adequados para os momentos de lazer e não para uma ocasião formal e profissional.
O selecionador também deve tomar cuidado com os trajes que devem ser adequados e devem exprimir uma imagem profissional da empresa.

3. Mascar chiclete:
Pode até ser que seja uma tentativa de aliviar a tensão do momento, mas acaba dando a impressão de desprezo por um momento de grande formalidade e profissionalismo.
Em relação ao selecionador, a orientação é a mesma, deixe para mascar o chiclete no momento em que não irá realizar nenhum tipo de entrevista.

4. Falar mal de ex-empregadores:
Essa é somente para os candidatos, por mais que se tenha motivos para falar mal do ex-gestor, jamais deve expressar para o selecionador, pois oferece a má impressão que você é antiético em falar mal de quem não está presente para se posicionar, uma vez que toda história apresenta três versões: a nossa, a do outro e a verdadeira.

5. Usar decotes insinuantes, minissaia, maquiagem e perfume provocantes:
A candidata só pode ter enganado-se sobre a ocasião e ao invés de ir para a balada, foi para a entrevista.
A máxima vale para a selecionadora, que deve tomar cuidado com a vestimenta ao entrevistar qualquer candidato, independente do sexo - pois o que vale é a imagem da empresa e não sua imagem física.

6. Demonstrar desinteresse pela vaga:
Neste caso, não perca o seu tempo e nem do selecionador, percebeu que a vaga não está de acordo com o seu interesse, peça desculpas e justifique seu desinteresse, agradeça a oportunidade e use a Lei dos Dois Pés - se não tem interesse em continuar participando do processo, pegue seus dois pés e vá embora.

7. Chegar atrasado na entrevista:
Esse é um dos pontos mais controversos de todos, pois compromisso é compromisso e deve ser honrado, doe a quem doer. O candidato quando aceita um convite para entrevista, deve chegar no horário honrando o compromisso assumido. Se chegar atrasado, jamais fale que seu ponto forte ou qualidade é a pontualidade.
Agora uma das piores gafes, digo desrespeito e desumanidade, é quando o selecionador deixa o candidato esperando por minutos a fio e não honra o horário agendado para a entrevista, essa atitude é deplorável e oferece uma péssima imagem da organização.

8. Ficar tão à vontade que chega até a tirar o sapato:
Embora aconteça tanto da parte do candidato quanto do selecionador (já vi isso acontecer), nem merece comentário.

9. Demonstrar preconceito ou paradigmas preconceituosos:
Um exemplo real: Falar que português é burro! - A família paterna do pai da selecionadora era portuguesa e um dos sócios da empresa era de origem lusitana!
O selecionador também não deve expor julgamentos pessoais ou particulares na vida organizacional, pois o que se espera de um profissional de RH, é que ele seja humanista.

10. Responder SMS:
Embora aconteça tanto da parte do candidato quanto do selecionador (já vi isso acontecer), é inadmissível e também não merece comentários.

Este texto é de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

domingo, 2 de setembro de 2012

O que é gerenciamento, por Peter Drucker

Fonte da imagem:  ideaconsultoriaeassessoria.wordpress.com/tag/peter-drucker/


CONSIDERAÇÕES DA BLOGUEIRA:

E ainda tem profissional no mercado de trabalho, que discorda quando é abordada a urgente necessidade de desenvolvimento, da busca por conhecimento e do aprimoramento das competências!

Infelizmente ainda encontramos muitos profissionais que negligenciam suas carreiras apenas em conhecer a parte técnica sem se dar conta da importância da força do pensamento estratégico, da visão sistêmica, do conhecimento e do trabalho em equipe. 
Trabalhar em equipe é respeitar as diversidades, seja de opiniões, posicionamentos, áreas de atuação, raça, sexo, religião, posição hierárquica, orientação sexual e toda e qualquer diversidade que possa existir neste vasto mercado de trabalho.

Respeitar as particularidades das pessoas e especialmente de profissionais, sem julgamentos de valores a respeito de crenças, sentimentos e posicionamentos. Isso não é só maturidade profissional, mas especialmente respeito ao ser humano!

Contestar Peter Drucker, que é considerado o maior guru de administração de todos os tempos, até hoje?

O texto com os comentários da blogueira são de propriedade intelectual de:
Simoni Aquino
Consultora em Gestão Estratégica de Pessoas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...